Sistema Imunológico


Nosso ambiente está repleto de agentes infecciosos como vírus, bactérias, fungos, protozoários, etc. o sistema imunológico trabalha combatendo estes invasores. O organismo possui vários tipos de barreiras contra os invasores. O tipo de resposta imune do organismo vai depender do patogéneo e do local da infecção.

Barreiras externas

É o conjunto de barreiras físicas e bioquímicas que impedem que os micro organismos provoquem uma infecção. São também chamados de mecanismos de defesa não específicos, pois defendem o organismo de qualquer tipo de invasor.

Pele

A principal barreira contra os micro organismos é a pele devido a sua constituição de queratina, a qual, impede a entrada dos mesmos.

Muco

O muco reveste as mucosas e, normalmente os invasores ficam retidos nele.

Cílios

Os cílios "varrem" os micro organismos para fora do órgão.

Saliva, lágrimas e enzimas

As enzimas contidas na saliva e nas lágrimas possuem acção bactericida. Algumas enzimas possuem o pH muito ácido, as quais, impedem a proliferação de micro organismos na região, como é o caso do estômago e da vagina.

Comensais

No intestino e na vagina há numerosos micro organismos da flora normal que impedem a proliferação de micro organismos externos, competindo por alimento e espaço.

A resposta imune

Para produzir a defesa, o organismo precisa primeiramente reconhecer o patogéneo ou qualquer que seja este invasor.

Existem dois tipos de resposta imune: inata e adaptativa. A resposta imune adaptativa é muito mais eficiente, pois ela é mais específica.

Resposta imune inata

Quando um micro organismo invade o organismo, um grupo de células fagocitárias vai tentar destruí-los através da fagocitose. Estas células são constituídas por um grupo de leucócitos, monócitos, macrófagos e neutrófilos. Este tipo de reconhecimento é inespecífico, pois as células fagocitam vários tipos de micro organismos e compreendem a primeira linha de defesa.

Resposta imune adaptativa

A resposta imune adaptativa é específica e conta com os linfócitos, que reconhecem especificamente o patogéneo invasor. Existem vários tipos de linfócitos que são agrupados em duas categorias: linfócitos B, que produzem anticorpos que se ligam ao antígeno e os linfócitos T, que estão envolvidos na produção de linfócitos B e auxiliam na fagocitose. Existem vários tipos de interação entre os linfócitos e fagócitos.

Células do sistema imune

Linfócitos

Os linfócitos são responsáveis pelo reconhecimento do invasor e produção da resposta imune. São produzidos na medula óssea e timo, que são órgãos linfóides primários ou centrais e migram para o baço, linfonodo e amídalas, que são tecidos linfóides secundários. Os linfócitos B são produzidos na medula óssea e os linfócitos T são produzidos e maturados no timo.

Linfócitos B: os linfócitos B reconhecem o receptor de superfície do antígeno e transformam-se em plasmócitos, que produzem e secretam anticorpos que se ligam especificamente com o antígeno. Os linfócitos B ficam concentrados aos gânglios linfáticos, prontos para uma reacção.

Linfócitos T: os linfócitos T são bastante variados e possuem um número grande de funções. Interagem com os linfócitos B. As células T auxiliares (TH) auxiliam os linfócitos B na produção de anticorpos, divisão e diferenciação celular. Os linfócitos T citotóxicos destroem células infectadas do hospedeiro, utilizando um receptor específico para antígenos das células T (TCR). Os efeitos dos linfócitos T estão relacionados com a libertação de citocinas, que são emissores químicos de sinais para as células.

Fagócitos mononucleares

Os fagócitos têm a função de neutralizar, englobar e destruir as partículas estranhas e micro organismos invasores. São produzidos na medula óssea e sua diferenciação é provocada por citocinas. Quando estas células estão no sangue circulante são chamadas de monócitos, quando estão nos tecidos são chamadas de macrófagos.

O monócito é uma célula grande, maior que o linfócito e possui um núcleo com muitos grânulos em forma de ferradura.

Neutrófilos

Os neutrófilos são células fagocíticas e são muito numerosos, compreendendo cerca de 90% dos granulócitos que circulam na corrente sanguínea. É a primeira célula a chegar ao local de defesa e tem vida curta.

Eosinófilos

São células com função de apreender e danificar os invasores, principalmente os parasitas extracelulares grandes. Quando estimulados, eles libertam seus grânulos, libertando toxinas, histaminas e arilsulfatase. Os eosinófilos combatem principalmente os vermes, pois não podem ser fagocitados. As substâncias produzidas ajudam a diminuir a resposta inflamatória.

Basófilos e mastócitos

Estas células estão em quantidades muito pequenas no sangue. Possuem grânulos no citoplasma que produzem inflamação no tecido circundante. Estão associados com as reacções alérgicas.

Plaquetas

As plaquetas estão envolvidas na coagulação sanguínea e na libertação de mediadores inflamatórios, atraindo leucócitos para a região lesada.

Citocinas

São proteínas ou peptídeos que permitem que as células comuniquem entre si e com outros órgãos durante as respostas imunes.

Principais grupos:

Interleucinas: são produzidas principalmente pelas células T e estão relacionadas com a multiplicação dos linfócitos B. Existem vários tipos de interleucinas.

Interferons: estão relacionados com a produção de defesa contra os vírus, mantendo as células em estado de "alerta viral".

Factores estimuladores de colónias: estão directamente envolvidos com a produção das células de defesa.

Sistema complemento

É um grupo de proteínas com a função de controlar o processo inflamatório. São produzidas pelo sangue e estão presentes no fígado. Pode ser activado por anticorpos presentes nas paredes das bactérias (via clássica) ou por moléculas que estão presentes nas bactérias (via alternativa). Esta bactéria é revestida por moléculas do complemento, facilitando a fagocitose.

Órgãos linfóides

Órgãos linfóides primários

São os locais onde os linfócitos são produzidos. Compreendem o timo e a medula óssea.

Órgãos linfóides secundários

Após serem produzidos nos órgãos linfóides primários, migram para os secundários, onde se encontram e interagem. Compreendem o baço, linfonodos e tecidos linfóides associados a mucosas.

Anticorpos

Também chamados de imunoglobulinas, são proteínas produzidas pelos linfócitos B que reconhecem antígenos e se ligam especificamente com eles interagindo com outras células do sistema imune, servindo como um adaptador. Existem cinco classes de anticorpos: IgG, IgA, IgM, IgD e IgE.

Antígenos

Qualquer organismo que é reconhecido pelo sistema imune.

Resposta inflamatória

Ocorre quando há uma concentração de células de defesa no local da infecção. Há uma vasodilatação e aumento do suprimento sanguíneo, migração de células de defesa para o local e aumento da permeabilidade das células.

::: As informações contidas nestas páginas são resultado de pesquisas bibliográficas desenvolvidos pelo autor. Contudo, não deverão ser usadas como diagnóstico, pois cada caso terá a sua especificidade. Consulte sempre um profissional de saúde. ::: www.facebook.com/alquimiadoeu.eu  :  miguel.laundes@gmail.com  :  © Miguel Laúndes, 2021
Desenvolvido por Webnode
Crie o seu site grátis!