Pressão alta


A medicação para pressão arterial elevada é projectada para baixar a pressão arterial e os melhores medicamentos  reduzem-na cerca de 10 pontos. Para algumas pessoas são prescritas mais que um medicamento a fim de obter um efeito maior, mas essas drogas (remédios) vêm com consideráveis efeitos colaterais e evidências muito menos impressionantes do que você pensa em realmente reduzir as mortes cardiovasculares.

Diuréticos, por exemplo, reduzem muito os níveis da vitamina B12, o que aumenta o risco de demência, e também de magnésio, que, ironicamente, aumenta o risco de ataque cardíaco. Você deseja que sua pressão arterial esteja abaixo de 140/90 (14/9) e, idealmente, em torno de 120/80 (12/8).

Pode-se conseguir o mesmo efeito ou uma redução ainda maior da pressão arterial com uma vitamina, um mineral e uma mudança de sua dieta (alimentação).

A vitamina mais eficaz na redução da pressão arterial é a vitamina C.  Uma meta análise de 29 estudos confirma que uma mera quantidade de 500 mg de vitamina C por dia, reduz a pressão arterial alta em 5 pontos em oito semanas. Este estudo, publicado no American Journal of Clinical Nutrition, confirma esse efeito importante da vitamina C. No entanto, doses mais elevadas são ainda melhores. Em um estudo, pessoas que receberam 2 gramas (2000 mg) de vitamina C por dia durante 30 dias tiveram uma queda de 10 pontos na pressão sanguínea sistólica. Isto é comparável ao efeito que você pode obter com remédios (drogas) para hipertensão, mas sem os efeitos colaterais.

De facto, os únicos efeitos secundários são positivos. A vitamina C tem demonstrado diminuir o colesterol LDL e reduzir o espessamento arterial. É também anti-inflamatória e pode ajudar, em conjunto com a vitamina E a reduzir a oxidação, ou os danos, provocados pelo colesterol. Um estudo recente de quase 60.000 pessoas no Japão relata que a ingestão de vitamina C está fortemente associada com um risco reduzido de doenças cardíacas, especialmente em mulheres, reduzindo o risco em um terço. Outro relata que a vitamina C com vitamina E, retardam a aterosclerose. Muitos estudos alimentares também concluiram que quanto maior a sua ingestão de vitamina C, menor é o seu risco. Então, é uma escolha óbvia para qualquer pessoa com doença cardiovascular.


O magnésio tem efeito directo e imediato na redução da pressão arterial que é comparável ao efeito de medicamentos. Isso ocorre porque as células musculares que revestem suas artérias relaxam quando elas contêm mais magnésio do que cálcio. Você pode conseguir isso de duas maneiras. Aumentando a sua ingestão de magnésio ou bloqueando a capacidade do cálcio entrar nas células. Bloqueadores dos canais de cálcio são um dos medicamentos mais prescritos para hipertensos, mas têm efeitos colaterais. O risco a longo prazo mais do que duplica o risco de câncer de mama, de acordo com um estudo na revista da Associação Médica Americana (American Medical Association), Medicina Interna.

Em contraste, suplementando 300 mg de magnésio por dia produz uma queda média da pressão arterial sistólica de 18,7 pontos, e da pressão arterial diastólica de 11 pontos, se tomado por seis meses, em pessoas com pressão arterial elevada (acima de 155 ou 15,5). Esta descoberta foi relatada em uma meta análise de sete estudos com 135 pessoas que apresentavam pressão arterial elevada e é uma mudança muito significativa, mais do que você esperaria dos melhores remédios. O magnésio também ajuda a diminuir o colesterol e triglicerídeos (gorduras no sangue) e é consistentemente associado à redução do risco de mortes por doenças cardiovasculares e ataques cardíacos. Também alivia a insónia, tensão muscular e ajuda a estabilizar os níveis de açúcar no sangue.

Pouquíssimos polivitamínicos contêm uma quantidade de magnésio suficiente. É suplementar magnésio extra para atingir 300 mg por dia. As sementes de abóbora e as verduras são as melhores fontes alimentares de magnésio.

A dieta que reduz a pressão arterial de forma mais eficaz é uma dieta de baixo índice glicémico. Isso acontece, porque aprender a comer de uma forma que estabiliza os níveis de açúcar no sangue significa que o corpo produzirá menos insulina. A insulina afecta os rins, ocasionando um aumento da pressão sanguínea.

Uma dieta de baixo índice glicémico está consistentemente associada com a redução do risco de ataques cardíacos e mortes cardiovasculares.

Fonte: www.patrickholford.com/advice/nutrients-that-work-better-than-drugs?utm_medium=email&utm_source=transactional&utm_campaign=PH+Nutrients+Better+1.a+09.06.2015

::: As informações contidas nestas páginas são resultado de pesquisas bibliográficas desenvolvidos pelo autor. Contudo, não deverão ser usadas como diagnóstico, pois cada caso terá a sua especificidade. Consulte sempre um profissional de saúde. ::: www.facebook.com/alquimiadoeu.eu  :  miguel.laundes@gmail.com  :  © Miguel Laúndes, 2021
Desenvolvido por Webnode
Crie o seu site grátis!