Nervo vago ou pneumogástrico

O nervo vago (bilateral), também conhecido por nervo pneumogástrico, é um nervo com origem no tronco cerebral, desce até ao abdómen e, ao longo do seu trajecto, dá origem a vários ramos que enervam diversos órgãos cervicais, torácicos e abdominais, com funções sensitivas e motoras, sendo fundamental no reajustamento e manutenção de funções vitais, tais como a regulação da frequência cardíaca e arterial, por exemplo.

O par de nervos vagos, localizados de cada lado do corpo, são o 10º par de um total de 12 pares cranianos que fazem conexão do cérebro com o corpo. Os nervos cranianos são identificados em numeração romana. O nervo vago é o X par e é considerado o mais longo dos nervos cranianos.

Certos estímulos ao nervo vago, provocados por ansiedade, medo, dor, alterações da temperatura ou simplesmente ficar de pé por um longo período de tempo, podem provocar a chamada síncope vasovagal, em que a pessoa pode ter uma intensa tontura ou desmaio, pois este nervo pode provocar uma brusca queda dos batimentos cardíacos e da pressão arterial.

Anatomia do nervo vago

imagem do Google
imagem do Google
O nervo vago é o maior nervo craniano e tem origem na parte de trás do bulbo raquidiano, uma estrutura cerebral que liga o cérebro com a medula espinal e sai do crânio por uma abertura chamada de forame jugular, descendo pelo pescoço, passando pelo tórax e termina no estômago.

Durante o trajecto do nervo vago, este, enerva a faringe, laringe, coração e outros órgãos, sendo através dele que o cérebro percebe qual o estado dos mesmos, regularizando, caso haja necessidade,  diversas de suas funções.

Principais funções

  • Reflexos da tosse, deglutição e vómito

  • Contracção das cordas vocais para a produção da voz

  • Controlo da contracção do coração

  • Diminuição da frequência dos batimentos cardíacos

  • Movimentos respiratórios e constrição dos brônquios

  • Coordenação dos movimentos do esófago, intestino e aumento da secreção gástrica

  • Produção de suor

Além disso, o nervo vago divide alguma das suas funções com o nervo glossofaríngeo (IX par), especialmente na região do pescoço, sendo responsáveis pela sensação gustativa, onde o nervo vago está mais relacionado com o azedo e o glossofaríngeo com o sabor amargo.

Alterações do nervo vago

Uma paralisia do nervo vago pode provocar dificuldades em engolir, rouquidão, dificuldades para falar, contracções nos músculos da faringe e laringe, alterações na pressão arterial e batimentos cardíacos. Esta paralisia pode ocorrer por traumatismos, lesões em cirurgias, compressões por tumores ou por certos síndromes neurológicos.

Além disso, existem situações que provocam estimulação excessiva do nervo vago, gerando uma situação chamada síncope vagal ou desmaio. Ocorre normalmente em indivíduos jovens e deve-se à redução da frequência cardíaca e da pressão sanguínea, devido à falta de oxigénio no cérebro, provocando desmaio.

A síncope vagal pode ser causada por

  • Exposição ao calor

  • Emoções fortes, como a raiva

  • Persistir muito tempo de pé

  • Alterações da temperatura

  • Engolir alimentos muito grandes

  • Estar numa altitude elevada

  • Sentir fome, dor, ou outras experiências desagradáveis

A estimulação do nervo vago também pode ser feita através de uma massagem na região lateral do pescoço. Por vezes a manobra vagal é feita pelos médicos em caso de emergência para regularizar a arritmia cardíaca.

::: As informações contidas nestas páginas são resultado de pesquisas bibliográficas desenvolvidos pelo autor. Contudo, não deverão ser usadas como diagnóstico, pois cada caso terá a sua especificidade. Consulte sempre um profissional de saúde. ::: www.facebook.com/alquimiadoeu.eu  :  miguel.laundes@gmail.com  :  © Miguel Laúndes, 2021
Desenvolvido por Webnode
Crie o seu site grátis!