Lactose - intolerância

Causado pela baixa produção da enzima lactase a qual  digere o açúcar do leite, provoca dor de barriga e outros incómodos gastrointestinais.

A intolerância à lactose causa dor de barriga, gases e outros desconfortos gastrointestinais após a ingestão de leite e derivados. O tratamento varia, sendo aconselhável limitar o consumo de produtos lácteos e eventualmente tomar cápsulas com lactase, a enzima que quebra a lactose.

Causa da intolerância à lactose

Os sintomas decorrem da incapacidade total ou parcial do organismo de produzir a lactase, uma enzima que quebra a lactose, o açúcar dos produtos lácteos. Consequentemente, o composto acumula-se no intestino e é fermentado pelas bactérias, provocando mal-estar.

A intolerância surge de diferentes maneiras. A sua forma mais comum acontece pela redução natural da concentração de lactase com o avançar da idade.

O bebé, que se alimenta exclusivamente de leite, fabrica largas doses dessa enzima. Conforme a criança vai crescendo e outros alimentos entram na dieta, a sua produção vai diminuindo.

Em episódios raros, o distúrbio tem origem genética. E há ainda uma terceira causa: quando micro-organismos ou um processo inflamatório atacam as células intestinais responsáveis por gerar a lactase.

Não confundir intolerância com alergia, os dois problemas são distintos. Enquanto o primeiro é marcado pela dificuldade em quebrar a lactose, o segundo é uma resposta exagerada do sistema imunológico a uma proteína específica do leite de vaca. O ataque das células de defesa desencadeia manifestações em todo o corpo, como inchaço nos lábios, comichão, manchas na pele, tosse e falta de ar. A alergia tende a ser mais perigosa.

Sintomas e sinais

Dor e inchaço abdominal

Diarreia

Gases

Azia

Náusea

Dor de cabeça

Factores de risco

Envelhecimento

Etnia: o problema é mais comum em africanos, árabes, gregos, chineses, coreanos e canadenses

Infecção por rotavírus

Doenças gastrointestinais

Predisposição genética

Diabetes

Realização de cirurgia bariátrica

A prevenção

Não há como conter a queda na produção da lactase. Contudo, é importante salientar que o bom funcionamento dos órgãos digestivos repercute-se na digestão da lactose.

Ou seja, a recomendação é investir numa dieta com verduras, frutas e cereais integrais, que facilitem o trânsito intestinal. O organismo mais saudável fica menos propenso a gases e cólicas, mesmo com a presença de lactose não digerida.

Infecções intestinais podem ocasionar o que os especialistas chamam de intolerância transitória. Nesses casos, tratar a infestação de germes é o caminho para restabelecer a produção da lactase e se livrar dos desconfortos ao ingerir leite e derivados.

Por outro lado, medicamentos como os antibióticos fragilizam o intestino. Esses fármacos só devem ser usados com a recomendação do médico.

::: As informações contidas nestas páginas são resultado de pesquisas bibliográficas desenvolvidos pelo autor. Contudo, não deverão ser usadas como diagnóstico, pois cada caso terá a sua especificidade. Consulte sempre um profissional de saúde. ::: www.facebook.com/alquimiadoeu.eu  :  miguel.laundes@gmail.com  :  © Miguel Laúndes, 2021
Desenvolvido por Webnode
Crie o seu site grátis!