Glúten

O glúten é um composto de proteínas encontrado na farinha de trigo, aveia, centeio, cevada e malte.


"Essas proteínas são chamadas prolamina e glutelina e aparecem combinadas com o amido no alimento. A gliadina e a glutenina (que são a prolamina e a glutelina do trigo) representam a grande maioria das proteínas do trigo.

6 razões pelas quais o glúten faz mal para saúde

1- A doença celíaca está em ascensão e a maioria das pessoas permanece sem diagnóstico

O glúten é um composto de proteínas, encontrado em vários tipos de grãos. A gliadina e a glutenina, são os dois principais componentes do glúten. A gliadina é a parte solúvel. A glutenina é a parte insolúvel que compõe o glúten.
A gliadina é responsável pelas reacções adversas no organismo.

Quando a farinha é misturada com água, o glúten forma uma rede de proteínas reticuladas adesiva, proporcionando propriedades elásticas à massa, permitindo ao pão crescer quando terminar a cozedura.

Quando o glúten chega ao trato digestivo e é exposto às células do sistema imunológico, estas, de imediato, reagem como se de um invasor se tratasse.

Na doença celíaca (a forma mais grave de sensibilidade ao glúten), o sistema imunológico ataca as proteínas do glúten, mas também ataca uma enzima nas células do aparelho digestivo chamado transglutaminase de tecido.

Assim, a exposição ao glúten nos celíacos faz com que o sistema imunológico ataque tanto o glúten como a própria parede intestinal. Por esta razão, a doença celíaca é classificada como uma doença auto-imune.

A reacção imune pode causar degeneração da parede intestinal, o que leva a deficiências nutricionais, vários problemas digestivos, anemia, fadiga, bem como um risco aumentado de muitas doenças graves.

Acredita-se que a doença celíaca atinja cerca de 1% da população, mas pode ser mais comum (mais de 2%) nos idosos. Existem já estudos que mostram que a taxa de doença celíaca está aumentando rapidamente na população.

De acordo com um estudo, mais de 80% das pessoas com doença celíaca desconhecem que sofrem desta patologia!

2- A sensibilidade ao glúten é bastante comum, mesmo não se sendo celíaco!

Embora não haja uma definição clara de sensibilidade ao glúten, basicamente significa ter algum tipo de reacção adversa ao glúten.

Se existe uma reacção adversa ao glúten, mas a doença celíaca é descartada, então é chamado de sensibilidade ao glúten não celíaco.

Na sensibilidade ao glúten não celíaco, não há ataque aos tecidos do organismo. No entanto, muitos dos sintomas são semelhantes aos da doença celíaca, incluindo inchaço, dor estomacal, fadiga, diarreia, além de dor nos ossos e articulações.

Acredita-se que entre 6-8% da população possa ter sensibilidade ao glúten, com base em anticorpos anti-gliadina encontrados no sangue.

Cerca de 40% da população carrega os genes HLA-DQ2 e HLA-DQ8, implicando desde logo, sensibilidade ao glúten!

3- O glúten pode causar efeitos adversos, mesmo em pessoas que não possuem sensibilidade ao glúten.

Há estudos que mostram que, indivíduos sem doença celíaca nem diagnóstico de sensibilidade ao glúten apresentam reacções adversas ao glúten.

Em um desses estudos , 34 indivíduos com síndrome do intestino irritável foram distribuídos aleatoriamente em uma dieta contendo glúten para um grupo e isento de glúten para outro grupo.

O grupo da dieta contendo glúten teve mais dor, inchaço, incoerência de fezes e fadiga em comparação com o outro grupo.

A síndrome do intestino irritável (IBS) envolve vários problemas digestivos com uma causa desconhecida.

4 - Alguns transtornos cerebrais, parecem estar associados com o consumo continuado de glúten.

Alguns casos de doenças neurológicas podem ser causados ​​e/ou exacerbados pelo consumo de glúten. Isso é chamado de neuropatia idiopática sensível ao glúten.

Em um estudo com pacientes padecendo de uma doença neurológica com causa desconhecida, determinou-se que 30 de 53 pacientes (57%) apresentaram anticorpos contra o glúten no sangue.

A principal desordem neurológica considerada pelo menos em parte causada pelo glúten é a ataxia cerebelar, uma doença grave do cérebro que envolve uma incapacidade de coordenar o equilíbrio, os movimentos, a fala.

5 - O glúten é viciante.

O glúten manipulado em laboratório e dividido em tubos de ensaio, forma péptideos, os quais, parecem activar os receptores opióides.

Estes peptídeos (proteínas pequenas) são chamados de exorfolinas de glúten.

Exorphin = péptideo que não é formado no corpo, que pode activar os receptores opióides no cérebro.

As exorfolinas de glúten foram encontradas no sangue de pacientes celíacos.

6 - O glúten prejudica a saúde por estar associado a doenças auto-imunes

Vários estudos encontraram associações fortes entre a doença celíaca e doenças auto-imunes.


::: As informações contidas nestas páginas são resultado de pesquisas bibliográficas desenvolvidos pelo autor. Contudo, não deverão ser usadas como diagnóstico, pois cada caso terá a sua especificidade. Consulte sempre um profissional de saúde. ::: www.facebook.com/alquimiadoeu.eu  :  miguel.laundes@gmail.com  :  © Miguel Laúndes, 2021
Desenvolvido por Webnode
Crie o seu site grátis!