Ferro, deficiência ou excesso?

O ferro é um elemento essencial no organismo. Mas o que é pouco conhecido é que tanto se pode ter ferro a menos, como a mais. Vamos ver as implicações e soluções.

O ferro é essencial para a produção de sangue. A maior percentagem de ferro (cerca de 70%) está nas células vermelhas, a chamada hemoglobina, e nas células musculares chamados mioglobina. A hemoglobina é essencial para a transferência de oxigénio no sangue dos pulmões para os tecidos e a mioglobina, transporta, gera e liberta oxigénio conforme as necessidades.

O ferro é vital para o metabolismo energético, a respiração, na síntese de colagénio, bom funcionamento dos neurotransmissores e para uma função imunitária adequada.

A diferenciação entre anemia e sobrecarga de ferro pode ser difícil porque as duas condições podem causar fadiga. Geralmente, a anemia é bastante conhecida, mas o excesso de ferro é muito pouco falado. A ameaça potencial da sobrecarga de ferro é bem real e aumenta com o avançar da idade e independentemente de factores genéticos.

Vamos ver estas duas 2 situações em detalhe.

Deficiência de ferro (anemia)

Em média, o homem adulto tem cerca de 1.000 mg de ferro armazenado no organismo, o que pode ser suficiente para prover as necessidades por cerca de 3 anos, enquanto as mulheres têm apenas cerca de 300 mg. Quando as reservas de ferro ficam cronicamente baixas, os níveis de hemoglobina descem e a essa depleção de ferro pode originar anemia.

Sintomas de deficiência de ferro

  • Fadiga extrema

  • Pele pálida

  • Falta de ar

  • Dor no peito

  • Lábios rachados / pálidos

  • Reduzida resistência a infecções (infecções frequentes)

  • Dor de cabeça

  • Tonturas ou vertigens / desmaios

  • Parte interior dos olhos branca

  • Mãos e pés frios

  • Inflamação ou dor na língua

  • Unhas quebradiças

  • Batimento cardíaco rápido / irregular

  • Ânsias incomuns por substâncias não-nutritivas, como gelo, carne, tomates ou amido

  • Falta de apetite, especialmente em lactentes e crianças

  • Sensação de formigamento desconfortável ou síndrome das pernas inquietas

Como Aumentar os Níveis de Ferro no Organismo

  • Aumentar o consumo de carne vermelha

O ferro presente na carne vermelha é o que é melhor é absorvido pelo organismo. Apenas 5% de ferro em alimentos vegetais está disponível para absorção pelo organismo, contra 30 a 50% de ferro a partir da carne.

  • Se cozinhar em panelas de ferro ou de aço inoxidável aumenta a quantidade de ferro que consome.

  • O azeite de oliva e especiarias como anis, cominho, alcaçuz e hortelã promovem a absorção de ferro.

  • O consumo de vitamina C aumenta a absorção de ferro no organismo.

Excesso de ferro no organismo

Assim como a deficiente ingestão ou absorção de ferro pode levar a anemia, demasiado ferro no organismo pode criar uma sobrecarga de ferro e os problemas de saúde podem até ser mais graves.

Assim que o homem atinge a sua idade adulta, o excesso de ferro se acumula no sangue à razão de 1 mg por dia. As mulheres têm menos risco de acumular ferro do que os homens devido à menstruação. Por isso, as mulheres têm menos de metade de ferro no sangue do que os homens. 

Como os homens não têm nenhuma saída directa para o ferro, os níveis de ferro nas mulheres é baixo o que lhes dá menos 50% de probabilidade de desenvolver doenças cardíacas, diabetes e câncer.

Sintomas de excesso de ferro

  • Fadiga

  • Dor nas articulações (especialmente da anca)

  • Dores de estômago inexplicáveis

  • Infecções frequentes

  • Pele bronzeada

  • Elevação das enzimas hepáticas

  • Cessação da menstruação

  • Queda de cabelo

  • Batimento irregular do coração (fibrilação)

Sintomas a longo prazo

  • Envelhecimento prematuro

  • Artrite

  • Cancro

  • Cataratas

  • Diabetes

  • Osteoporose

  • Degeneração macular

  • Problemas do fígado

  • Distúrbios cerebrais.

Nas mulheres que estejam em fase pós-menopausa, ou que se submeteram a histerectomia entre os 20 os 40 anos podem enfrentar problemas semelhantes.
A razão pela qual as mulheres com histerectomia podem ter excesso de ferro no organismo é porque a remoção do útero pode eliminar a menstruação que é uma das maneiras de diminuir a quantidade de ferro presente no sangue.

Como diminuir o excesso de ferro no organismo

  • Através da transpiração

Ao praticar exercício físico e o consequentemente transpirar, é possível perder cerca de 1 mg de ferro.

  • Dietas Vegetarianas

Uma dieta vegetariana é constituída por alimentos fracos em ferro e em forma pouco absorvida pelo corpo humano. Além disso, a dieta vegetariana promove a longevidade em animais e humanos.

  • Diminuir o consumo de carne vermelha

O ferro presente na carne vermelha é o que melhor é absorvido pelo organismo, por isso evitar o consumo de carne vermelha retira uma das principais fontes de ferro na dieta. Apenas 5 por cento de ferro em alimentos vegetais está disponível, contra 30 a 50 por cento de ferro a partir de carne.

  • Os antiácidos, ovos e soja reduzem a disponibilidade de ferro no organismo.

  • Os produtos lácteos contém lactoferrina, por isso o leite também inibe a absorção de ferro. O consumo moderado de álcool é susceptível de constituir um problema com a absorção de ferro, mas quantidades excessivas de álcool está associado a sobrecarga de ferro, particularmente em homens adultos.

  • Bioflavonóides (encontrados em frutas, café, chá verde, casca de pinheiro, quercetina e a casca de frutas cítricas, especialmente mirtilos, sabugueiro e de semente de uva) reduzem a absorção de ferro no organismo.

  • O ácido fítico (um componente presente em grãos integrais, frutos secos e sementes como o gergelim, sementes de girassol, cacau ou amêndoas) ligam-se ao ferro e outros minerais no trato gástrico ajudando a limitar a sua disponibilidade do ferro agindo como quelantes que limpam o ferro do sangue. A quelação de ferro máxima na circulação sanguínea é obtida quando são consumidos fora das refeições. O ácido fítico é rapidamente absorvido para a corrente sanguínea, onde actua como um potente agente quelante mineral.


Conclusão

Para quem tem sobrecarga de ferro é preferível evitar ferro que acompanha muitos dos multivitamínicos, assim como os alimentos ricos em ferro. Só pelo facto de ter fadiga não significa obrigatoriamente que esteja relacionado com o excesso ou o déficit de ferro. Deve consultar o seu médico e fazer exames de sangue e um historial clínico de saúde completo. Alimentos ricos em ferro como, carne vermelha e melaço podem prevenir a anemia e dar mais vitalidade durante a juventude, mas na idade adulta pode levar à sobrecarga de ferro entre homens e mulheres na pós-menopausa ou que tenham efectuado uma histerectomia entre os 20 e os 40 anos.

Esteja atento aos sinais do seu corpo, consulte o seu médico e pratique uma alimentação saudável e adequada sem esquecer o exercício físico para uma vida mais saudável e para alcançar o equilíbrio de ferro ao longo da sua vida.


::: As informações contidas nestas páginas são resultado de pesquisas bibliográficas desenvolvidos pelo autor. Contudo, não deverão ser usadas como diagnóstico, pois cada caso terá a sua especificidade. Consulte sempre um profissional de saúde. ::: www.facebook.com/alquimiadoeu.eu  :  miguel.laundes@gmail.com  :  © Miguel Laúndes, 2021
Desenvolvido por Webnode
Crie o seu site grátis!