Enzimas digestivas

Nosso corpo é repleto de nutrientes. Ouvimos muito sobre o temido carboidrato, as proteínas, açúcares, vitaminas e minerais, mas, já ouviu falar sobre as enzimas digestivas? Pois é, conhecer sobre elas pode se tornar um diferencial nos resultados de sua dieta. São as responsáveis pela digestão de todos os alimentos ingeridos.

As enzimas digestivas dividem-se em diferentes grupos e podem ser encontradas desde a saliva até o intestino. A seguir poderá conhecer um pouco mais sobre elas e assim poderá melhor reconhecer as fontes naturais e suplementos dessas, que se podem tornar aliadas eficientes com diversos benefícios para sua saúde.

O que são

O organismo produz enzimas o tempo todo para sobreviver, então a questão principal é: Por que utilizar suplementos dessas enzimas digestivas? O que são? São proteínas que possibilitam a catalisação de todos os nutrientes consumidos, possibilitando todo o funcionamento do organismo. Auxiliam na quebra dos carboidratos, gorduras, proteínas e até na desintoxicação do álcool.

As enzimas são divididas de acordo com funções distintas, assim adequadas de acordo com cada digestão particular de cada nutriente. Quando essas enzimas digestivas não são responsáveis pela digestão desses nutrientes, auxiliam na sintetização.

Tipos de enzimas digestivas

  • Amilase ou Ptialina: Auxilia na digestão do glicogénio e do amido. Pode ser encontrada na própria saliva e auxilia na decomposição de carboidratos. É produzida pelas glândulas salivares e pode auxiliar na prevenção de cáries dentárias. É exactamente por isso que produzimos muita saliva, é uma forma de evitar o surgimento das indesejáveis cáries.

  • Bromelina e papaína: São enzimas proteolíticas. Assumem a função de decompor as proteínas em peptonas menores por meio de hidrólise. Estão muito presentes em suplementos voltados para pessoas que consomem muitos alimentos proteicos para ganho de massa magra. Contribuem para maior eficiência na digestão das proteínas.

  • Lípase: Auxilia na transformação de lipídeos, oferece suporte à catalisação e reacções químicas. É produzida pelo pâncreas e pode estar presente na parte inicial do intestino, ou seja, presença garantida no suco gástrico e intestinos.

  • Protease: É fundamental para aqueles que são adeptos de uma alimentação para ganho de massa magra. Auxilia na digestão e quebra das ligações peptídicas de aminoácidos contidos nas proteínas. Esse processo de digestão é finalizado pelas enzimas digestivas proteolíticas e pela lípase.

  • Lactase: Auxilia na digestão da lactose e da galactose.

  • Maltase: Auxilia na digestão da maltose. Este suplemento é muito utilizado por praticantes de treinos intensos e que consomem suplementos para fornecimento de energia extra para manter uma boa condição física.

Fontes de enzima digestivas naturais

É importante avaliar as reais necessidades. O uso de suplementos deve ser evitado se se pode enriquecer a alimentação com enzimas digestivas de uma forma natural.

Abaixo poderá conhecer alguns métodos naturais que podem auxiliar no fornecimento de enzimas digestivas contidas em alimentos que são muito comuns em nossa alimentação. Ao adicionar esses alimentos à alimentação, poderá potenciar o descongestionamento das vias biliares e pancreáticas.

  • Ingerir mais beterrabas e verduras cruas, pois é reconhecido que o processo de cozimento proporciona a redução das enzimas digestivas contidas nos alimentos. Os alimentos verdes devem ser adicionados, pois a celulose contida nesses alimentos pode anexar-se à bile e, então, favorecer a uma melhor digestão.

  • Os chás também devem ser incorporados no plano alimentar, o chá de feno-grego é um dos mais indicados, pois assume acção descongestionante, o que proporciona um melhor fluxo biliar.

  • A adição de canela às refeições pode contribuir para os níveis de açúcar na corrente sanguínea e para o fluxo biliar.

  • O consumo de 1 ou 2 colheres de sopa de azeite com 1 ou 2 colheres de chá de sumo de limão é indicado para auxiliar no fluxo do fígado e da bile, além de contribuir para a saúde da vesícula.

  • Beber um copo grande de água antes das refeições pode incentivar a produção de ácido clorídrico além de  contribuir para o fluxo de bile.

  • Consumir mamão, abacaxi e kiwi também pode se tornar um bom método para maiores quantidades de enzimas digestivas.

Benefícios

Os suplementos de enzimas digestivas podem favorecer o funcionamento do organismo de formas variadas. É importante avaliar as deficiências, para que assim se possa escolher o suplemento que melhor se adeque às necessidades.

Se se é praticante de actividades de alta intensidade, poder-se-à suplementar com enzimas digestivas. Abaixo algumas das possíveis reacções benéficas que estes suplementos podem oferecer à saúde em geral:

  • O consumo regular de um suplemento de enzima digestiva pode proporcionar um alívio intestinal, pois auxiliam em um melhor processo de digestão, o que reduz desconfortos abdominais e dores ocasionadas por digestões mal sucedidas.

  • A presença das enzimas digestivas pode contribuir para uma melhor absorção de nutrientes. Devemos destacar a importância de uma alimentação saudável, mas é fundamental que todas as propriedades contidas nesses alimentos sejam utilizadas a favor de bem-estar.

  • Afirma-se que os suplementos de enzimas digestivas podem contribuir para a saúde do sistema imunológico. Contribuem para a eliminação das toxinas indesejáveis ao organismo.

  • Se se é praticante de treinos intensos, a enzima digestiva pode favorecer a recuperação muscular após treinos extensos. Esse suplemento pode ser consumido pós-treino, o que reduz os sintomas de fadiga e auxilia na recuperação de lesões, já que contribui também para prevenir processos inflamatórios e degenerativos.

  • As enzimas digestivas funcionam como anti-inflamatório, assim, podem ser muito benéficas para tratamentos de artrite e para a saúde de um modo geral.


::: As informações contidas nestas páginas são resultado de pesquisas bibliográficas desenvolvidos pelo autor. Contudo, não deverão ser usadas como diagnóstico, pois cada caso terá a sua especificidade. Consulte sempre um profissional de saúde. ::: www.facebook.com/alquimiadoeu.eu  :  miguel.laundes@gmail.com  :  © Miguel Laúndes, 2021
Desenvolvido por Webnode
Crie o seu site grátis!