Cúrcuma


Açafrão ou cúrcuma é uma especiaria excepcional, quando adicionada à maioria das refeições. Está provado que ajuda na saúde reduzindo drasticamente os sintomas de determinadas doenças. Este rizoma vibrantemente amarelo tem sido usado na medicina ayurvédica desde há milénios e foi implementado pelas suas qualidades medicinais no Sudeste da Ásia há cerca de 4000 anos. Mais recentemente, a ciência ocidental realizou uma pesquisa sobre a planta e os resultados apenas confirmaram o que os antigos afirmavam sobre os efeitos poderosos desta planta: a cúrcuma tem o potencial de transformar a saúde e curar doenças.

imagem do Google
imagem do Google

O principal agente de cura do açafrão é um composto chamado curcumina, a qual, possui propriedades anti-oxidantes, efeitos anti- inflamatórios potentes, com a capacidade de combater doenças que vão da diabetes à depressão. Pode ser consumido como um chá infundido, comprovado por pesquisas científicas, ou simplesmente polvilhando os alimentos na hora de serem ingeridos.

1. Contém substâncias anti cancerígenas.

Em um estudo realizado no Instituto de Pesquisa do Câncer de Jiangsu, na China, a curcumina foi responsável por produzir resultados potencialmente favoráveis, invertendo o câncer. Tomado como um suplemento ou polvilhado sobre pratos culinários, esta erva e seus componentes activos pode e deve ser usada para formar um ritual diário saudável que contribui para a prevenção de doenças e alívio de sintomas patológicos.

Há uma série de artigos científicos, enaltecendo os efeitos miraculosos do açafrão! O que o açafrão reivindica é quase inacreditável! O autor e médico Andrew Weil sugere a ingestão de cúrcuma em uma base diária, de forma a prevenir e combater doenças crónicas.

Abaixo estão apenas alguns dos poderosos benefícios  da cúrcuma sobre o corpo humano, em laboratório.

2. Manutenção do fígado e desintoxicação.

Dezenas de toxinas entram no nosso corpo diariamente, deixando os nossos sistemas em uma luta constante para eliminá-los, tentando evitar doenças e enfermidades. Alguns dos principais sistemas de desintoxicação residem no fígado e, por esta razão, é fundamental manter este órgão o mais saudável possível. Estudos realizados pelo Departamento de Oncologia da Universidade de Leicester, no Reino Unido, demonstraram que a ingestão de curcumina, catalisa um potente aumento de enzimas no fígado, as quais, são preciosos auxiliares no processo de desintoxicação. Assim, a curcumina pode impedir que as toxinas se acumulem levando a complicações de saúde, incluindo formas diferentes de câncer.

3. Ajuda a aliviar articulações inflamadas e dores artríticas.

Pesquisa orquestrada no Centro Médico Nirmala na Índia, em 2012 conclui que a curcumina pode ser mais eficaz do que Diclogenac, a droga anti inflamatória padrão, prescrita habitualmente contra a artrite. A curcumina trabalha para atingir a causa da doença à resposta inflamatória dolorosa, ao invés de apenas mascarar os sintomas desconfortáveis, isto, sem o conjunto de efeitos secundários negativos de náuseas, ao sangramento que muitas vezes acompanham a terapia padrão.

A curcumina parece suprimir, pelo menos, cinco factores de risco para corpo humano, os quais, contribuem para a inflamação e dano articular na artrite reumatóide, dando-lhe um âmbito muito mais abrangente do que os medicamentos farmacêuticos.

A molécula derivada da cúrcuma, é promissora no tratamento da osteoartrite. Uma das principais características desta doença incapacitante é a degradação da cartilagem existente entre as articulações mantendo-as lubrificadas e funcionais. Com base em resultados do Grupo de Munique Research Musculoskeletal, a curcumina pode beneficiar os efeitos degenerativos desta doença de forma significativa, mantendo a cartilagem preservada e protegida. O Centro Integrado de Prevenção do Câncer, em Tel Aviv, Israel identificou que a curcumina suprime o crescimento de células causadoras de inflamações.

4. Fortes propriedades anti oxidantes.

Numa pesquisa publicada em 2008, a Universidade de Ataturk da Turquia mostrou que a curcumina é suficientemente eficaz para varrer os radicais livres do organismo. Estes, são moléculas nocivas que podem causar alteração indesejada dentro do corpo, incluindo danos directos ao DNA. O organismo pode ser contaminado através de má alimentação, poluição, radiação, etc. Então, é lógico crer, que a adição de cúrcuma na dieta possa ser um meio fácil e potencialmente eficaz de cura em geral e prevenção de doenças.

5. Um tratamento potencial contra a doença de Alzheimer.

Através dos mecanismos das suas acções anti-inflamatórias, entende-se que a curcumina, eventualmente, possa desempenhar um papel fundamental na cura da doença de Alzheimer, de acordo com o Departamento de Neurologia do UCLA em Sepulveda, Califórnia. Um dos factores que contribuem para a doença de Alzheimer é a inflamação crónica das células nervosas. Os estudos, concluíram que a curcumina é capaz de inibir algumas enzimas e substâncias químicas, causadoras destes processos inflamatórios.

Outra das causas que contribuem para a doença de Alzheimer é a acumulação de proteínas, que, eventualmente, formam a placa dentro do cérebro e obstruem as vias de comunicação entre as células. A linha de defesa do sistema imunológico vem sob a forma de macrófagos que trabalham para remover o build ups.

Em outro estudo, observando três indivíduos com doença de Alzheimer, realizado por uma equipe de cientistas do Hospital Toyota Geral no Japão, os sujeitos apresentaram uma melhoria significativa no estado e comportamento psicológico sobre a administração de 100 mg de curcumina por dia por um período de apenas 12 semanas. Os sintomas como agitação, apatia e irritabilidade, diminuíram.

6. Quelação de metais pesados ​​no tecido cerebral.

A curcumina ajuda a evitar a neuro toxicidade. Pesquisas do Departamento de Neurologia da UCLA demonstraram que, o dano induzido por chumbo aos neurónios foi severamente reduzido em ratos quando, os mesmos, foram injectados com curcumina.

7. Melhora a digestão.

A dispepsia é um termo amplamente utilizado para descrever as condições que se enquadram na categoria de gases, flatulência, náuseas, problemas digestivos, perda de apetite e sintomas semelhantes, mas somente quando a causa não está relacionada com uma doença grave subjacente.

Uma investigação da Universidade de Maryland determinou que a cúrcuma estimula a produção de bílis na vesícula que se crê melhorar a digestão. Em alguns países, incluindo a Alemanha, a cúrcuma é prescrita para dispepsia por este motivo. É indicada na redução de gazes e inchaço em pessoas susceptíveis a indigestão. A equipe de Maryland descobriu que a curcumina mostra ser uma promessa no auxílio a pessoas que sofrem de colite úlcerosa.

8. Alivia eczema e prurido.

Um estudo publicado na revista Arquivos de Plantas, em 2006, relata que a cúrcuma alivia afecções da pele, devido à sua acção anti-inflamatória e anti bacteriana. Tinturas, extractos e óleos contendo a curcumina como constituinte activo, pode ser aplicado topicamente nas áreas irritadas da pele.

9. Prevenção da diabetes tipo 2.

Um estudo duplo cego, randomizado e controlado por placebo, publicado no Jornal Diabetes concluiu que a curcumina pode ser altamente eficaz na prevenção de pessoas que estejam pré-diabéticos. Depois de um período de nove meses, 16,4% do grupo placebo foram diagnosticados com diabetes tipo dois, enquanto que, nenhum dos indivíduos que receberam o tratamento de curcumina desenvolveram a doença. O tratamento também pareceu melhorar a função global de células únicas dentro do pâncreas responsáveis ​​pela produção, armazenamento e libertação de insulina.

10. Ajuda a combater a depressão e a melhorar a saúde cognitiva.

A curcumina atravessa a barreira sangue-cérebro com facilidade devido ao seu baixo peso molecular. Durante os estudos em animais no Instituto Nacional de Saúde, em Maryland, a curcumina demonstrou ter capacidade de provocar o crescimento de novas células na região do hipocampo do cérebro, tornando-se num potencial tratamento e medida preventiva contra a depressão. Pode ser particularmente eficaz em seres humanos, pois foi descoberto uma ligação de destaque entre depressão e dano induzido pelo stress para os neurónios dentro do hipocampo, tendo por base os resultados de um estudo publicado na Biological Psychiatry Journal em 2000.

A curcumina demonstrou ainda (durante a pesquisa realizada, tanto na Universidade Panjab na Índia como na Universidade da Califórnia, em Sacramento) ter capacidade de modular a libertação de certos neurotransmissores no cérebro. Um deles é a dopamina, que está associada aos estados de felicidade e de recompensa no cérebro, que conduzem a sensações de prazer e motivação. De acordo com pesquisadores do Instituto Nacional de Saúde, em Maryland a curcumina demonstrou influenciar os níveis de serotonina no cérebro, um neurotransmissor que desempenha um papel fundamental nas funções de humor e sono. Crónicamente, baixos níveis de serotonina são um dos principais factores de depressão. O açafrão oferece uma forma segura de aumentar os níveis de serotonina.

Como aumentar a eficácia e absorção do extracto de cúrcuma pelo trato digestivo?

Sempre que tomar cúrcuma em forma de suplementos, deve adquirir o mesmo com Bioperina incluída na fórmula, pois, tomar cúrcuma com Bioperina mostrou aumentar a biodisponibilidade do extracto pelo organismo em 2000%, comparando com apenas cúrcuma de forma isolada. Resulta de igual modo, se ao açafrão lhe juntarmos pimenta preta.

::: As informações contidas nestas páginas são resultado de pesquisas bibliográficas desenvolvidos pelo autor. Contudo, não deverão ser usadas como diagnóstico, pois cada caso terá a sua especificidade. Consulte sempre um profissional de saúde. ::: www.facebook.com/alquimiadoeu.eu  :  miguel.laundes@gmail.com  :  © Miguel Laúndes, 2021
Desenvolvido por Webnode
Crie o seu site grátis!