Colesterol

Medicação com estatinas para baixar o colesterol são prescritas para milhões de pessoas, mas, a menos que realmente tenha uma doença cardíaca, não há evidências suficientes de que tomá-las irá reduzir o risco de morte cardiovascular ou prolongar a sua vida. No entanto, um em cada dez que as toma, tem efeitos colaterais e um em 50, desenvolve a diabetes (como efeito colateral). Existem dois tipos de colesterol. LDL, o chamado tipo "ruim" que deve ser reduzido, e o HDL, o tipo bom que remove o colesterol indesejado.

Aumentar a proporção de colesterol HDL, é fundamental na redução do risco de ataque cardíaco. É aconselhável que um terço do colesterol total seja o HDL. Tomar niacina (B3), uma simples vitamina do complexo B, é a maneira mais eficaz de aumentar os níveis de colesterol HDL. De acordo com uma avaliação recente no New England Journal of Medicine, a niacina aumenta os níveis de HDL em 20 a 35 por cento.
A niacina promove a redução do colesterol LDL em até 25 por cento. Um dos autores deste estudo, especialista em cardiologia Roger Blumenthal, professor associado e director do Centro Ciccarone para a prevenção de doenças cardíacas na Escola da Universidade Johns Hopkins de Medicina e do seu Instituto do Coração, em Baltimore, Maryland. As estatinas, em comparação, apenas elevaram o HDL entre 2 e 15 por cento. A niacina potencia a redução dos triglicerídeos (gorduras no sangue) em até 28%.

É preciso pelo menos 1.000 mg de niacina para obter um efeito de redução do colesterol. Há um efeito colateral para esta dose. Fica-se ruborizado, quente e com comichão por cerca de 15 minutos. Não é perigoso, apenas desconfortável. Se se tomar 500 mg de niacina pura, sempre com alimentos, duas vezes por dia, o efeito de se ficar corado desaparece ao fim de alguns dias. Algumas fórmulas também contêm magnésio e vitamina C. Três nutrientes positivos em um.
Combinando uma dieta mediterrânea de baixo índice glicémico com quantidades suficientes de ómega 3 (óleos de peixe), por exemplo o Ácido Alfa Lipóico (ALA), 500mg/dia, os resultados são ainda melhores. Comer apenas uma porção de peixe (gordo) por semana reduz a probabilidade de ter outro ataque do coração em um terço.  Um estudo japonês deu a mais de 9.000 pessoas a gordura ómega-3 chamada EPA (1,8 g por dia) com estatinas e comparou com 9.000 pessoas que tomaram apenas estatinas. Após 4, 5 anos, aqueles que tomaram os óleos de peixe tiveram 19 por cento menos incidência de morte cardíaca, ataques cardíacos ou outros problemas cardiovasculares graves.

Fonte: www.patrickholford.com/advice/nutrients-that-work-better-than-drugs?utm_medium=email&utm_source=transactional&utm_campaign=PH+Nutrients+Better+1.a+09.06.2015


::: As informações contidas nestas páginas são resultado de pesquisas bibliográficas desenvolvidos pelo autor. Contudo, não deverão ser usadas como diagnóstico, pois cada caso terá a sua especificidade. Consulte sempre um profissional de saúde. ::: www.facebook.com/alquimiadoeu.eu  :  miguel.laundes@gmail.com  :  © Miguel Laúndes, 2021
Desenvolvido por Webnode
Crie o seu site grátis!