Anemia hemolítica


Anemia é a condição, na qual, o organismo não possui glóbulos vermelhos em quantidade suficiente. Os glóbulos vermelhos são responsáveis por fornecer oxigénio para os tecidos do corpo.

Em pessoas saudáveis, os glóbulos vermelhos duram cerca de 120 dias antes de serem descartados pelo organismo. Na anemia hemolítica, os glóbulos vermelhos no sangue são destruídos antes do tempo normal, sem dar tempo de serem repostos pela medula óssea.

Causas

A anemia hemolítica ocorre quando a medula óssea não é capaz de repor os glóbulos vermelhos que estão sendo destruídos.

A anemia hemolítica também tem sua forma auto imune, que ocorre quando o sistema imunológico identifica erroneamente seus próprios glóbulos vermelhos como corpos estranhos, desenvolvendo anticorpos que atacam as hemácias, destruindo-as muito prematuramente.

O organismo também pode destruir os glóbulos vermelhos devido a certos defeitos genéticos que fazem com que os glóbulos vermelhos assumam formas anormais (como a anemia de células falciformes e anemia hemolítica devido à deficiência de G6PD).

Outras possíveis causas são:

  • Coágulos em pequenos vasos sanguíneos

  • Transfusão de sangue de um doador com um tipo sanguíneo que não corresponde ao seu.

Factores de risco

  • Exposição a determinados produtos químicos, drogas e toxinas

  • Infecções.

Sintomas de Anemia hemolítica

É possível que uma pessoa não apresente sintomas se a anemia hemolítica for branda. Se o problema se desenvolver lentamente, os primeiros sintomas podem ser:

  • Mau humor

  • Fraqueza ou cansaço mais frequente que o normal

  • Dor de cabeça

  • Problemas de concentração ou raciocínio.

Se a anemia piorar, outros sintomas podem surgir, como:

  • Coloração azul no branco dos olhos

  • Unhas frágeis

  • Tontura leve ao levantar-se

  • Palidez da pele

  • Falta de ar

  • Língua dolorida.

diagnóstico e exames

Especialistas que podem diagnosticar anemia hemolítica são:

  • Clínico geral

  • Endocrinologista

  • Cardiologista

  • Hematologista

  • Imunologista

  • Infectologista.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e optimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram

  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade

  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando os sintomas surgiram?

  • Você já foi diagnosticado anteriormente com anemia? De qual tipo?

  • Qual a intensidade dos sintomas?

  • Os sintomas apresentados são ocasionais ou frequentes?

  • Você tem tido problemas para concentrar-se?

Diagnóstico de Anemia hemolítica

Um hemograma completo pode ajudar a diagnosticar a anemia e oferecer algumas dicas do tipo e da causa do problema. As partes importantes de um hemograma completo incluem contagem de glóbulos vermelhos (RBC), hemoglobina e hematócrito (HCT).

Os seguintes exames podem identificar o tipo de anemia hemolítica:

  • Contagem absoluta de reticulócitos

  • Teste de Coombs directo

  • Teste de Coombs indirecto

  • Teste de Donath-Landsteiner

  • Aglutinina febril ou fria

  • Hemoglobina livre no soro ou na urina

  • Hemossiderina na urina

  • Contagem plaquetária

  • Eletroforese proteica sérica

  • Haptoglobina sérica

  • LDH sérica

  • Urina e urobilinogénio fecal.

Um exame que mede a longevidade dos glóbulos vermelhos utilizando técnicas de rádio marcação também pode ajudar a diagnosticar a anemia hemolítica.

Tratamento de Anemia hemolítica

O tratamento depende do tipo e da causa da anemia hemolítica.

  • Em casos de emergência, pode ser necessária transfusão sanguínea

  • Para anemia hemolítica causada por doença auto imune, podem ser utilizadas drogas que reprimem o sistema imunológico

  • Quando os glóbulos vermelhos estão sendo destruídos em ritmo acelerado, o organismo pode precisar de ácido fólico extra e suplementos de ferro para repor o que está sendo perdido.

O tratamento da causa subjacente à anemia hemolítica é essencial para que o paciente possa conviver bem com a doença. Seguir uma dieta rica em ferro e vitaminas também pode ajudar.

Complicações possíveis

O resultado do tratamento depende do tipo e da causa da anemia hemolítica. Anemia hemolítica grave pode levar a uma doença cardíaca, doença pulmonar ou doença cérebrovascular, colocando a vida do paciente em risco.

Prevenção

Não há formas conhecidas de se prevenir anemia hemolítica


::: As informações contidas nestas páginas são resultado de pesquisas bibliográficas desenvolvidos pelo autor. Contudo, não deverão ser usadas como diagnóstico, pois cada caso terá a sua especificidade. Consulte sempre um profissional de saúde. ::: www.facebook.com/alquimiadoeu.eu  :  miguel.laundes@gmail.com  :  © Miguel Laúndes, 2021
Desenvolvido por Webnode
Crie o seu site grátis!